Nós cuidamos
do caminho.

Blog
Grupo Apisul

Alto índice de sinistros no Brasil ativa discussão sobre a importância do seguro

Prejuízos com roubo de carga chegaram a 1,3 bilhões no último ano

Um dos maiores desafios enfrentados pelos empresários do setor do transporte de carga é o aumento no índice de sinistros. No Brasil, foram registrados cerca de 24 mil casos de roubo em 2016, segundo relatório da Associação Nacional dos transportadores de Carga (NTC).

Ao contrário do que muita gente pensa, o roubo representa apenas 9% da quantidade de ocorrências de sinistro no Brasil, de acordo com a Federação das empresas de transporte de cargas do Estado de São Paulo (FETCESP). Os outros 91% correspondem a danos causados por acidentes de trânsito, tombamento, balroamento, queda da mercadoria, avaria durante o transporte, molhadura, dentre outros.

Estes dados trazem à tona uma questão muito discutida entre os transportadores: a contratação de seguro para cargas. O seguro de transportes consiste na proteção de mercadorias e bens transportados em viagens terrestres, fluviais e aéreas, compreendendo o território nacional e internacional. Com ele, é possível mensurar o provável prejuízo com acidentes, roubos, e qualquer outro fator que possa acarretar na perda da carga. Infelizmente, todo negócio está sujeito a sofrer algum tipo de sinistro, por isso é importante que nada seja transportado, independente do tipo de modal utilizado, sem que tenha sido feita a averbação de transporte.

De acordo com Laura Guimarães, diretora da Reguladora do Grupo Apisul, a melhor maneira de se prevenir é contratando um seguro de transportes. “Realizar a averbação da carga, ou seja, segurar a carga transportada antes do início do risco, além de atender as exigências previstas em apólice, é a garantia de reembolso caso haja um sinistro, e caso ela não seja realizada, os prejuízos podem ser altíssimos ao embarcador e transportador”, conclui Laura.

Obrigatória em território nacional, a averbação é a melhor solução para estar em dia com a legislação de seguros e garantir a segurança da mercadoria. Apesar de obrigatória, muitas vezes, o transportador negligencia as exigências da legislação vigente, correndo riscos desnecessários.

Ao escolher um seguro é importante ter uma apólice com as coberturas, de acordo  com o perfil do produto, e que atenda todas as necessidades da operação. Essa é a melhor forma de se proteger de problemas inesperados e prejuízos milionários que podem levar as empresas à falência.

Confira a edição n° 75 da Revista Linha Direta de 2017 aqui.

Grupo Apisul

Grupo Apisul